Imunidade

Você está aqui:

A imunidade é o mecanismo de defesa do organismo contra substâncias estranhas (antígenos). O sistema imunológico é o sistema responsável por desencadear esse processo de defesa e manter, assim, o equilíbrio e bom funcionamento do organismo.

A imunidade pode ser classificada de diversas formas, dentre elas podemos destacar a imunidade inata, presente em indivíduos saudáveis; e a imunidade adquirida, que ocorre após contato com um agente invasor e é específica contra esse agente. Para ter-se uma boa imunidade, é importante, por exemplo, a presença de uma alimentação saudável.

Leia também: Doenças autoimunes – quando o sistema imunológico ataca células saudáveis

O que é imunidade?

Imunidade são os mecanismos utilizados pelo organismo como uma resposta contra substâncias estranhas presentes no corpo. Ela é desencadeada pelo sistema imune, que atua pela ação de células de defesa e pela produção de anticorpos (proteínas produzidas em resposta à presença de antígenos), que agirão contra determinados antígenos.

Imunidade são mecanismos de defesa do organismo contra antígenos.
Imunidade são mecanismos de defesa do organismo contra antígenos.

A imunidade é essencial na defesa do organismo contra diversas doenças causadas por agentes químicos ou biológicos, e mantém, assim, a homeostase. Além de proteger, evitando o surgimento de doenças, a imunidade pode impedir que uma doença progrida e atua na identificação ou na destruição de células estranhas, danificadas ou mutantes. Ainda e dessa forma, a imunidade auxilia na prevenção do câncer.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Classificação da imunidade

A imunidade pode ser classificada em:

  • Inata: o indivíduo já nasce com esse tipo de imunidade, e ela está sempre presente em indivíduos saudáveis. Ela atua de forma rápida, evitando a entrada de microrganismos e combatendo os que conseguem entrar nos tecidos do hospedeiro. É representada por barreiras físicas, químicas e biológicas; por células especializadas, como macrófagos, neutrófilos e células dendríticas; e por moléculas solúveis, como citocinas, quimiocinas e proteína C reativa (PCR, proteínas produzidas principalmente por células do fígado em casos de infecções bacterianas).
  • Adquirida: ocorre após contato com um agente invasor, por exemplo, vírus e bactérias, e é específica contra esse agente. Após o contato, ocorre uma série de eventos que desencadeiam a ativação de determinadas células, bem como a síntese de proteínas. A imunidade adquirida pode ser dividida em humoral (principal mecanismo de defesa contra microrganismos, é mediada por anticorpos produzidos pelos linfócitos-B) e em celular (promove a destruição de microrganismos presentes em fagócitos, ou das células infectadas, e é mediada pelos linfócitos-T). As imunidades humoral e celular atuam juntas na defesa do organismo.

A imunidade também pode ser classificada em ativa, passiva e transferência adotiva, como veremos:

  • Ativa: após a exposição a determinado microrganismo ou toxina produzida por ele, o corpo busca maneiras de combatê-lo. Esse tipo de imunidade é adquirido pelo organismo por uma doença ou pela vacinação, apresentando, assim, uma “memória”;
  • Passiva: o indivíduo receberá os anticorpos já prontos para combater determinados antígenos. Esse tipo de imunização pode acontecer pela transferência de anticorpos da mãe para o feto ou pela administração de anticorpos, via soro, no doente.
  • Transferência adotiva: ocorre pela transferência de células do sistema imune, por exemplo, via transfusão sanguínea.

Leia também: Vacina e soro: quais são as diferenças?

Sistema imune

O sistema imune é constituído por células conhecidas como glóbulos brancos (leucócitos e linfócitos), tecidos hematopoiéticos (medula óssea, responsável pela produção de células de defesa) e órgãos (linfonodos, baço e timo) atuantes na defesa do organismo.

O baço é um dos órgãos do sistema imune.
O baço é um dos órgãos do sistema imune.

Além de proteger contra agentes causadores de doenças, como vírus, bactérias, fungos e protozoários, o sistema imune defende o organismo contra o câncer, pois consegue identificar de células estranhas, como as mutantes, e destruí-las. Para saber mais sobre esse importante sistema do corpo, acesse: Sistema imunológico humano.

Tipos de respostas imunes

A imunização pela produção de anticorpos é denominada resposta imune. Ela ocorre quando o organismo identifica a presença de algum antígeno e de duas formas:

  • Resposta imune primária: o organismo libera no plasma sanguíneo anticorpos específicos contra um determinado antígeno dias após a exposição a ele;
  • Resposta imune secundária: o organismo eleva ainda mais a concentração de anticorpos no sangue. Essa resposta ocorre em uma nova exposição a um mesmo antígeno. Esse mecanismo está relacionado à memória imunológica, na qual células que já produziram anticorpos contra um determinado antígeno retêm essa informação e voltam a produzi-los, de forma ainda mais rápida, quando detectam a presença desse mesmo antígeno.

O que é imunidade baixa?

Para que o organismo consiga proteger-se, a sua resposta imunológica deve estar modulada de forma adequada. No entanto, algumas doenças (como a Aids), disfunções (como a diabetes), uma nutrição não adequada e o uso de determinados medicamentos podem contribuir para uma disfunção imunológica, e, assim, o organismo fica mais suscetível a infecções.

Essa disfunção é popularmente conhecida como imunidade baixa. Diante disso, é importante detectar o que está desencadeando-a e tentar reverter esse quadro, buscando garantir a defesa do organismo, bem como seu equilíbrio.

Veja também: HIV e Aids são a mesma coisa?

Como melhorar a imunidade?

Uma alimentação saudável e rica em vitaminas é uma aliada da imunidade.
Uma alimentação saudável e rica em vitaminas é uma aliada da imunidade.

Como dito, uma nutrição inadequada pode interferir na modulação das respostas imunes no organismo. Diante disso, é importante que se tenha uma alimentação rica em vitaminas, ingerindo sempre frutas e verduras. Alimentos ricos em cobre, magnésio e zinco também são importantes para a imunidade e estão presentes, por exemplo, em ovos, frutos do mar, castanhas, nozes, amêndoas, fígado, banana e espinafre.

Além de uma alimentação saudável, para manter o organismo protegido, é importante a prática de atividades físicas. Para um resultado eficaz, deve-se realizar, no mínimo, 30 minutos diários dessas atividades. Além disso, a realização de atividades que evitem o estresse pode ser um grande aliado para um sistema imunológico forte. 

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados