Sangue

Você está aqui:

O sangue está presente no sistema cardiovascular e encontra-se sempre em um movimento unidirecional, devido às contrações rítmicas do coração. Enquanto se desloca por todo o organismo, o sangue executa diversas funções, como o transporte de sangue e nutrientes. Em uma pessoa saudável, 7% de seu peso corresponde ao volume de sangue presente em seu organismo.

O sangue e as células-tronco

As células do sangue são produzidas a partir de células-tronco multipotentes, ou seja, que apresentam a capacidade de originar diferentes tipos de células. As células-tronco estão presentes principalmente na medula vermelha, presente no interior de ossos, como as vértebras e pelve.

Durante a vida do indivíduo, as células-tronco vão efetuando a reposição dos elementos celulares velhos do sangue. A diferenciação das células do sangue ocorre de modo progressivo. Quando uma célula-tronco divide-se, uma célula-filha permanece indiferenciada, ou seja, permanece como célula-tronco, e a outra torna-se especializada.

O sangue é constituído por uma matriz líquida, denominada de plasma, onde estão presentes células e fragmentos celulares.
O sangue é constituído por uma matriz líquida, denominada de plasma, onde estão presentes células e fragmentos celulares.

Leia também: Genética do sistema ABO

Composição do sangue

O sangue é constituído por uma matriz líquida, denominada de plasma, que corresponde a cerca de 55% do volume do sangue, e de uma parte constituída pelos elementos celulares, que corresponde a cerca de 45% do volume sanguíneo.

  • Plasma

O plasma é a matriz líquida do sangue, onde estão inseridos os elementos celulares. O plasma é constituído principalmente por água, correspondendo a cerca de 91% de sua constituição, além de sais inorgânicos e proteínas.

Como citado anteriormente, uma das funções do sangue é o transporte de substâncias, assim, no plasma, podem também ser encontrados também diversos tipos de nutrientes, hormônios, gases e resíduos metabólicos. Entre as funções do plasma sanguíneo, podemos destacar o transporte de substâncias e a atuação no equilíbrio osmótico e ácido-básico.

Os sais inorgânicos (sódio, potássio, magnésio, bicarbonato, cálcio e cloreto) estão presentes no plasma na forma de íons dissolvidos. Eles são responsáveis pelo tamponamento do pH, regulação da permeabilidade da membrana e equilíbrio osmótico.

Entre as proteínas, podemos destacar a presença de imunoglobulinas, albuminas, fibrinogênio, entre outras. As funções das proteínas são o transporte de substâncias, como lipídios, atuando também no tamponamento de pH, defesa e coagulação sanguínea.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Elementos celulares

Os elementos celulares, também conhecidos como elementos figurados do sangue, são constituídos por células e fragmentos celulares. São elas:

  • Eritrócitos ou hemácias

    Essas células são produzidas na medula óssea, apresentam a forma de um disco bicôncavo e são anucleadas. Elas apresentam grande quantidade de hemoglobina, uma proteína que apresenta ferro em sua constituição e é responsável principalmente pelo transporte de oxigênio.

    Cada microlitro (μl, ou mm³) de sangue humano contém 5 a 6 milhões de eritrócitos ou hemácias. As anemias são causadas por uma baixa na quantidade de hemoglobina ou presença de hemoglobina não funcional no sangue, o que leva à redução da oxigenação dos tecidos.

  • Leucócitos

São células produzidas na medula óssea ou em tecidos linfoides e são incolores. Muitos leucócitos utilizam o sangue apenas como um meio de locomoção até chegar ao tecido onde atuará.

Os leucócitos têm a função de defesa do organismo. Alguns atuam englobando e digerindo microrganismos e fragmentos de células mortas do próprio corpo, esse tipo de leucócito é denominado de fagócitos. Outros leucócitos diferenciam-se em células B e T, o que acarreta o aumento da resposta imune contra substâncias estranhas, esse tipo de leucócito é denominado de linfócito.

Normalmente, um microlitro (μl, ou mm³) de sangue contém cerca de 5 mil a 10 mil leucócitos, no entanto, esses valores podem aumentar temporariamente sempre que corpo estiver combatendo uma infecção. Um aumento na quantidade de leucócitos no sangue é denominado de leucocitose e uma diminuição na quantidade de leucócitos é denominada leucopenia.

Os leucócitos podem ser de dois tipos: granulócitos e agranulócitos. Os granulócitos apresentam núcleo irregular e grânulos no citoplasma. Existem três tipos de granulócitos: neutrófilos, eosinófilos e basófilos. Já os agranulócitos apresentam núcleo regular e ausência de grânulos no citoplasma. Existem dois tipos de agranulócitos: linfócitos e monócitos.

Alguns leucócitos atuam englobando e digerindo microrganismos e fragmentos de células mortas do próprio corpo num processo denominado de fagocitose.
Alguns leucócitos atuam englobando e digerindo microrganismos e fragmentos de células mortas do próprio corpo num processo denominado de fagocitose.

- Neutrófilos: são também denominados de leucócitos polimorfonucleares, pois seu núcleo apresenta de dois a cinco lobos. Quando a célula ainda é jovem, apresenta o núcleo em forma de bastonete. Atua na defesa do organismo, fagocitando pequenas partículas. São os leucócitos mais abundantes, podendo chegar a 75% dos leucócitos presentes no sangue.

- Eosinófilos: apresentam núcleos bilobados e são do mesmo tamanho ou um pouco maiores que os neutrófilos, entretanto, são encontrados em uma quantidade bem menor que os neutrófilos. Os eosinófilos correspondem a cerca de 1% a 3% dos leucócitos. Uma forma de diferenciá-los dos neutrófilos é por meio da coloração dos grânulos ovoides, esses são maiores que os encontrados nos neutrófilos. Apresentam proteínas que têm ação antiviral, antibacteriana e antiparasitária, assim, atuam na defesa do organismo agindo sobre parasitas, além de inativar substâncias que causam inflamações.

- Basófilos: apresenta um núcleo grande, retorcido como a forma da letra “S”. Os grânulos dos basófilos geralmente apresentam filamentos ou partículas alongadas. Os basófilos correspondem a cerca de 1% dos leucócitos, mas esse número pode aumentar rapidamente em resposta a processos inflamatórios. O seu aumento de forma persistente (basofilia), entretanto, pode estar relacionado a algumas doenças, por exemplo, a leucemia mieloide crônica e hipotireoidismo.

- Linfócitos: os linfócitos são células pequenas com um citoplasma reduzido e apresentando um núcleo que ocupa cerca de 90% do conteúdo celular, correspondem a cerca de 45% dos leucócitos. Podem ser classificados em linfócitos B e T e apresentar diversos subtipos, dependendo do tipo de moléculas que apresentam em sua superfície. Atuam na defesa do organismo, reconhecendo e combatendo moléculas estranhas. O aumento de linfócitos no sangue (linfocitose) geralmente está relacionado a infecções virais, podendo estar relacionado também à leucemia linfoide. A sua diminuição (linfopenia ou linfocitopenia) pode estar relacionada à imunodeficiência ou ao uso prolongado de determinado medicamento.

- Monócitos: são os maiores leucócitos e representam cerca de até 10% dos leucócitos circulantes. Seu núcleo pode apresentar-se ovoide ou lobado e apresenta de dois a três núcleos. O aumento do número de monócitos (monocitose) pode estar relacionado a alguma doença hematológica, doença autoimune ou infecção bacteriana. Já a sua diminuição (monocitopenia) pode estar relacionada ao uso de corticosteroides.

  • Plaquetas

Diferentemente dos demais elementos apresentados, as plaquetas não são células e, sim, fragmentos citoplasmáticos de células especializadas da medula óssea, os megacariócitos. Elas são anucleadas, apresentam a forma de disco e atuam na coagulação sanguínea e reparo das paredes dos vasos sanguíneos. Geralmente, encontram-se de 150 mil a 450 mil plaquetas por microlitros (μl, ou mm³) de sangue.

Uma das funções do sangue é o transporte de gases da respiração, como o oxigênio.
Uma das funções do sangue é o transporte de gases da respiração, como o oxigênio.

Leia também: Sistema MN

Funções do sangue

O sangue apresenta diversas funções, entre elas podemos destacar:

- Transporte de gases (oxigênio e gás carbônico) hormônios e nutrientes;

- Recolhimento das substâncias resultantes do processo de metabolismo celular;

- Defesa do organismo, como a fagocitose de bactérias e fungos e a destruição de células infectadas;

- Imunidade do organismo;

- Modulação do processo inflamatório;

- Coagulação do sangue, entre outras funções.

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados