Vagina

Você está aqui:
A vagina é o órgão sexual feminino relacionado com a cópula. Trata-se de uma câmara elástica e muscular que conecta o útero ao meio externo.
Ilustração com indicação dos nomes dos principais órgãos do sistema reprodutor feminino.
Observe os principais órgãos do sistema reprodutor feminino.

A vagina é um dos órgãos que formam o sistema reprodutor feminino. Ela consiste em um canal tubular que atua como órgão feminino da cópula, lugar de passagem do bebê no momento do parto normal e local de escoamento do sangue menstrual e secreções uterinas.

Micro-organismos podem infectar a região da vagina, provocando infecções, as quais provocam coceira intensa, corrimento e odor fétido. Usar camisinha, utilizar roupa íntima de algodão e evitar o uso excessivo de duchas íntimas são medidas que ajudam a prevenir o problema.

Leia também: Ciclo menstrual — o responsável por preparar a parede uterina para o embrião

Resumo sobre vagina

  • A vagina é um órgão do sistema reprodutor feminino.

  • Ela é o canal que liga o útero ao meio externo.

  • A vagina é o órgão feminino da cópula.

  • Pela vagina, o bebê nasce durante o parto normal.

  • O hímen fecha a vagina parcialmente e geralmente é rompido na primeira relação sexual, mas nem sempre é o caso.

  • Evitar usar roupas apertadas e usar preservativo nas relações sexuais são algumas das estratégias para evitar infecções.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Sistema reprodutor feminino

O sistema reprodutor feminino está relacionado com a produção de gametas e com a cópula. Ele tem a função de alojar e garantir o desenvolvimento do bebê, além de promover sua saída no momento do parto.

→ Órgãos genitais femininos internos e externos

O sistema reprodutor feminino é formado por órgãos genitais internos e externos. Veja, a seguir, quais são os órgãos internos:

  • Ovários: são as gônadas femininas, ou seja, os órgãos produtores de gametas femininos. Os ovários também produzem dois importantes hormônios sexuais, o estrogênio e a progesterona.

  • Tubas uterinas: são consideradas vias condutoras dos gametas, sendo esse o local onde geralmente ocorre a fecundação.

  • Útero: órgão que abriga o novo ser em desenvolvimento, destacando-se por ser muscular e de grande capacidade de expansão, capaz de abrigar um bebê de cerca de 4 kg. O colo do útero abre-se na vagina.

  • Vagina: órgão que une o útero ao meio exterior.

Os órgãos genitais externos das mulheres são conhecidos, em conjunto, como vulva. A vulva consiste em clitóris, lábios maiores, lábios menores e algumas glândulas.

  • Clitóris: é uma estrutura que apresenta tecido erétil e é rica em terminações nervosas, sendo um dos pontos mais sensíveis à estimulação sexual.

  • Lábios maiores: são duas pregas cutâneas que possuem pelos na face lateral, sendo as faces mediais sem pelos.

  • Lábios menores: estão localizados medialmente aos lábios maiores e apresentam pele lisa.

  • Glândulas: as glândulas que compõem a vulva se abrem na região delimitada pelos pequenos lábios.

Características da vagina

A vagina é um dos órgãos internos do sistema reprodutor feminino. Caracteriza-se por ser um canal tubular que possui entre 10 e 15 cm de comprimento. A vagina localiza-se entre a bexiga e o reto e se destaca por sua capacidade de dilatação. Normalmente, suas paredes permanecem unidas, formando um tubo colapsado, sendo necessária a utilização de um aparelho para afastá-las durante um exame clínico.

A parede da vagina é formada por três camadas: mucosa, muscular e adventícia. O epitélio da mucosa é estratificado pavimentoso e possui células que podem apresentar uma pequena quantidade de queratina. Esse epitélio é capaz de produzir e acumular uma quantidade considerável de glicogênio sob o estímulo de estrogênio.

Esse glicogênio é liberado no lúmen da vagina quando as células do epitélio descamam, sendo também utilizado por bactérias para a produção de ácido lático. O ácido lático é responsável por tornar o pH vaginal ácido, uma característica que protege a região da ação de micro-organismos que podem causar doenças.

A camada muscular da vagina apresenta fibras musculares lisas. A camada externa à camada muscular é chamada de adventícia e é formada por tecido conjuntivo denso, sendo rica em fibras elásticas. É essa a última camada que une a vagina aos tecidos vizinhos.

A entrada da vagina é normalmente fechada parcialmente pelo hímen. Em algumas situações, no entanto, o hímen fecha completamente a entrada, sendo chamado de hímen imperfurado. O hímen consiste em uma membrana de tecido conjuntivo que geralmente é rompida durante a primeira relação sexual, mas ela pode ocorrer sem que o hímen se rompa. Devido a isso, a presença do hímen não garante necessariamente que a mulher é virgem.

Funções da vagina

  • A vagina funciona como órgão feminino da cópula, sendo esse o local onde o homem libera o sêmen no momento da relação sexual.

  • A vagina atua como canal de parto, sendo o local por onde o bebê passa durante o nascimento em um parto normal.

  • A vagina é o local de escoamento de secreções uterinas e do sangue menstrual.

Veja também: Pênis — o órgão masculino responsável pela transferência dos gametas para o meio externo

Infecções vaginais e como evitá-las

Diferentes micro-organismos podem infectar o trato genital feminino, tais como bactérias, vírus e fungos. Algumas dessas infecções podem ser transmitidas, por exemplo, por meio do contato sexual desprotegido ou ainda se desenvolverem devido a alterações na flora bacteriana e no pH vaginal, como ocorre na candidíase vulvovaginal.

Mulher segurando um sistema reprodutor feminino de plástico em frente ao corpo.
É importante que a mulher fique atenta a sintomas como coceira e corrimentos. Esses sintomas podem indicar infecções vaginais.

Essas infecções podem levar a sintomas desagradáveis, tais como o surgimento de odor fétido, vermelhidão, inchaço, corrimento e coceira intensa na região íntima. É importante que na presença desses sintomas, a mulher procure um médico ginecologista. Receitas caseiras ou medicamentos prescritos em outras situações não devem ser utilizados, uma vez que podem causar complicação do quadro.

Para evitar infecções vaginais, é importante que a mulher tenha muita atenção à sua saúde íntima. Algumas medidas que podem evitar o desenvolvimento de infecções vaginais incluem:

  • evitar roupas muito apertadas;

  • dar preferência a roupas íntimas feitas de algodão;

  • higienizar adequadamente a região genital;

  • evitar o uso de duchas íntimas;

  • utilizar preservativos em todas as relações sexuais.

Por Vanessa Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados