Pênis

Você está aqui:
O pênis, juntamente com o escroto, são os órgãos reprodutores externos masculinos. O pênis é o órgão responsável pela transferência dos gametas masculinos para o meio externo.

O pênis é o órgão reprodutor masculino, ou seja, é o órgão responsável pela transferência dos gametas para o meio externo. O pênis e o escroto são os órgãos sexuais externos masculinos.

Anatomia do pênis

O pênis humano apresenta formato cilíndrico e é constituído por tecido esponjoso bastante vascularizado. Esse tecido é constituído por três colunas: dois corpos cavernosos e um corpo esponjoso.

Na região medial, há a uretra, responsável pela transferência tanto do esperma quanto da urina para o meio externo. A pele que recobre o pênis é fina e termina projetando-se sobre a glande do pênis, região mais sensível aos estímulos. Essa região é recoberta por tecido epitelial e mucoso, denominado de prepúcio. O prepúcio, também denominado de pele anterior, fica frouxamente aderido e fornece proteção mecânica.

Essa pele pode ser removida por meio da realização de um procedimento cirúrgico simples, a circuncisão. No entanto, a realização da circuncisão, que também pode envolver questões religiosas, vem, a cada dia, recebendo menos indicações médicas. Falaremos mais adiante sobre esse assunto.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia também: Sistema reprodutor masculino

Excitação sexual

O processo de excitação sexual é importante para que possa ocorrer a relação sexual. Ele é um mecanismo controlado pelo sistema nervoso parassimpático e envolve fatores físicos e psicológicos.

Diante de algum estímulo (visual, auditivo, entre outros), ocorre a miotonia, que é o aumento da tensão muscular, e a vasocongestão, causando a dilatação das artérias do pênis, aumentando a quantidade de sangue nos tecidos esponjosos. Isso causa a expansão dos tecidos, levando ao fechamento das veias que drenam o pênis, impedindo a drenagem desse sangue.

Com isso, o pênis fica rígido, facilitando a cópula. O pênis retoma a forma relaxada, após a contração das artérias, e há a liberação das veias para fazerem a drenagem. Geralmente, isso ocorre após a ejaculação, que é o lançamento do sêmen para o meio externo. A ejaculação acontece mediante estímulos do sistema simpático, antagônico ao parassimpático.

Leia também: Camisinha Masculina

Fimose

Fimose é a incapacidade de retração do prepúcio. Diante disso, algumas complicações podem surgir, como dermatites, infecções urinárias recorrentes, entre outras. A fimose pode ser classificada em fimose primária (ou fisiológica) e secundária (ou patológica).

  • Fimose primária (ou fisiológica): ocorre em cerca de 95% das crianças e resolve-se espontaneamente, ou seja, sem necessidade cirúrgica, na maioria dos casos até a adolescência. Nesse caso, observa-se um prepúcio complacente e sem cicatrizes.

  • Fimose secundária (ou patológica): nesse caso, o prepúcio apresenta um anel fibroso esbranquiçado que impede a retração do prepúcio e exposição da glande. Esse tipo de fimose é frequentemente associado a sintomas como balanopostites (inflamação conjunta da glande e prepúcio) recorrentes, sangramento do orifício prepucial, ereção dolorosa, entre outros.

Atualmente, a recomendação cirúrgica tem sido adiada, devido ao fato de muitos casos, principalmente de fimose primária, serem resolvidos naturalmente ou com tratamento com corticoides tópicos.

A cirurgia é recomendada para casos em que o paciente apresenta os outros sintomas citados e ao adolescente que ainda não apresenta a retração do prepúcio.

Alguns cuidados são indicados a quem apresenta fimose, como:

  • Fazer a tração de forma delicada do prepúcio para higienizar e auxiliar na exposição gradual da glande;

  • Evitar tração forçada do prepúcio ou “massagens” na tentativa de auxiliar a exposição da glande.

Disfunção erétil

A disfunção erétil é caracterizada pela inabilidade de ativar uma ereção. A disfunção erétil pode ter diversas causas, sendo elas fisiológicas, psicológicas, além de ser causada também pelo consumo de álcool e de algumas drogas.

Como a ereção ocorre devido à dilatação das artérias do pênis, aumentando a quantidade de sangue nos tecidos esponjosos, o tratamento ocorre com medicamentos que possuem ação vasodilatadora. Vale destacar que jamais deve ser tomado medicamento sem indicação médica.

Câncer de pênis

O câncer de pênis está associado a fatores como fimose, doenças sexualmente transmissíveis e questões socioeconômicas.

O câncer de pênis está associado a fatores como fimose, doenças sexualmente transmissíveis e questões socioeconômicas.

O câncer de pênis representa cerca de 20% dos tumores urogenitais em indivíduos nos países em desenvolvimento. Esse tipo de câncer está associado a alguns fatores, como fimose, idade, tabagismo, doenças sexualmente transmissíveis, além de questões socioeconômicas.

A questão socioeconômica pode estar relacionado à falta de instrução e má higiene íntima, fatores que influenciam de forma direta no aumento da incidência desse tipo de câncer. O aumento das chances de incidência desse tipo de câncer em indivíduos que apresentam fimose deve-se justamente à dificuldade de higienização local.

O câncer de pênis tem maior incidência a partir da terceira idade, entretanto, em países em desenvolvimento, essa idade diminui para em torno dos quarenta anos. O câncer de pênis tem alto potencial de cura, sendo importante o diagnóstico precoce. O tratamento ocorre por meio de terapias, podendo ser necessário tratamento cirúrgico.

O pênis é o órgão masculino responsável pela transferência dos gametas para o meio externo.
O pênis é o órgão masculino responsável pela transferência dos gametas para o meio externo.
Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados