Ciclo menstrual

Você está aqui:

O ciclo menstrual corresponde a um ciclo de transformações que ocorrem no útero. Esse ciclo é responsável por preparar a parede uterina para o estabelecimento de um embrião, caso ocorra a gravidez. Esse processo possui três fases: fase proliferativa, fase secretora e fase menstrual.

O ciclo menstrual é regulado por diversos hormônios, como os produzidos pelo ovário, sendo, assim, controlado pelo ciclo ovariano. Apresenta uma duração de cerca de 28 dias.

Leia também: Sistema reprodutor feminino – órgãos e funções

O que é o ciclo menstrual?

O ciclo menstrual é o termo utilizado para designar as transformações cíclicas que ocorrem no útero, sendo também chamado de ciclo uterino. O ciclo menstrual tem duração de cerca de 28 dias, entretanto, podem ocorrer variações, como ciclos de 20 a 40 dias.

O ciclo menstrual, também chamado ciclo uterino, tem duração média de 28 dias.
O ciclo menstrual, também chamado ciclo uterino, tem duração média de 28 dias.

O ciclo menstrual é controlado pela ação de hormônios produzidos pela hipófise e pelos ovários. A ação desses hormônios interliga o ciclo menstrual, responsável por preparar o revestimento uterino para o estabelecimento de um embrião em uma possível gestação, e o ciclo ovariano, que envolve o crescimento do folículo ovariano e a ovulação.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Fases do ciclo menstrual

O ciclo menstrual inicia-se a partir do primeiro dia da menstruação e é controlado pela ação dos hormônios produzidos pelos ovários, como veremos a seguir. No entanto, para ficar mais claro, apresentaremos as fases do ciclo menstrual a partir da fase proliferativa, encerrando com a fase menstrual, quando ocorre a menstruação.

O ciclo menstrual pode ser dividido em fase proliferativa, secretora e menstrual.
O ciclo menstrual pode ser dividido em fase proliferativa, secretora e menstrual.
  • Fase proliferativa: a ação do hormônio estradiol, produzido pelo folículo em crescimento no ovário, estimula o espessamento da parede uterina (endométrio).

  • Fase secretora: assim que o folículo se rompe, liberando o ovócito, origina-se o corpo-lúteo, que secreta estradiol e a progesterona, estimulando a manutenção e o desenvolvimento da parede uterina, onde ocorrerá, por exemplo, o crescimento das glândulas do endométrio, responsáveis por secretar um líquido que nutrirá o embrião antes de ele se implantar na parede uterina.

  • Fase menstrual: se nenhuma embrião tiver sido implantado na parede uterina até o final da fase anterior, o corpo-lúteo irá se desintegrar, o que ocasionará uma queda na concentração dos hormônios ovarianos. A queda desses hormônios causa a constrição das artérias da parede uterina, o que desencadeia a desintegração de parte dessa parede, que é eliminada na menstruação.

Leia também: O que causa a cólica menstrual?

Ciclo ovariano

Os ovários são as gônadas femininas, isto é, os responsáveis por produzir os gametas femininos, bem como os hormônios sexuais (estrógeno e progesterona). Ainda durante o período embrionário, os ovários produzem as ovogônias, que, por mitose, originam os ovócitos primários.

Esses ovócitos iniciam o processo de meiose, no entanto, permanecem estacionados na etapa de prófase I. Assim, permanecem envolvidos por uma camada de células, sendo denominados de folículos primordiais. Ao longo da vida, desenvolvem-se, passando a ser chamados de folículos primários.

O ciclo ovariano inicia-se com a liberação do hormônio gonadotrofina hipofisária (GnRH) pelo hipotálamo, estimulando a adeno-hipófise a secretar os hormônios folículo estimulante (FSH) e luteinizante (LH). O FSH, auxiliado pelo LH, estimula o crescimento do folículo primário, que passa a secretar pequenas quantidades do hormônio estradiol.

A secreção do estradiol ajuda a manter os níveis de FSH e de LH baixos enquanto o folículo cresce e o ovócito amadurece. Quando a secreção do estradiol aumenta, ocorre também um aumento nos níveis de FSH e de LH, levando a um pico nos níveis de LH. Em resposta a esses aumentos nos níveis hormonais, o folículo e a parede adjacente do ovário rompem-se, liberando o ovócito secundário (ovulação).

O tecido folicular deixado no ovário transforma-se em corpo-lúteo, sob a ação do LH, e secreta progesterona e estradiol. A liberação desses hormônios desencadeia a redução da secreção de LH e FSH, o que evita a maturação de um novo folículo enquanto uma gravidez estiver em andamento.

Se não houver gravidez em andamento, os baixos níveis de gonadotrofina levam a uma desintegração do corpo-lúteo, o que acarreta a queda dos níveis de estradiol e de progesterona. Assim, a hipófise passa a secretar FSH em quantidades suficientes para estimular o crescimento de um novo folículo no ovário, iniciando um novo ciclo ovariano.

Veja também: Gametogênese – processo de produção dos espermatozoides e ovócitos

Período fértil

Para calcular o período fértil, ou seja, o período mais propício para engravidar, é importante conhecer como ocorre o ciclo menstrual, cujo tempo de duração pode variar de mulher para mulher. Para isso, deve-se marcar em um calendário, durante pelo menos seis meses, o primeiro dia de cada menstruação (data que se inicia um novo ciclo), assim, é possível mensurar quantos dias durou cada ciclo.

Para se calcular o período fértil, deve-se diminuir 18 dias do ciclo com duração mais curta, obtendo-se, assim, o primeiro dia do período fértil, e 11 dias do ciclo mais longo, obtendo-se, assim, o último dia do período fértil. A seguir, apresentamos um exemplo que pode ajudar a compreender melhor esse cálculo.

Exemplo de cálculo do período fértil

Após anotar por seis meses a duração de seus ciclos, uma mulher observou que seu menor ciclo tinha duração de 28 dias e o maior, de 30 dias. Para descobrir seu período fértil, fez os cálculos da seguinte maneira:

  • Diminuiu 18 do ciclo de menor duração: 28-18=10

  • Diminuiu 11 do ciclo maior: 30-11=19

Assim, o período fértil dessa mulher corresponde ao período que vai do 10º ao 19º dia do seu ciclo menstrual.

É importante destacar que esse método pode ser um aliado para quem quer programar uma gravidez, mas é um método pouco eficaz para se prevenir a gravidez. Isso se deve ao fato de muitas mulheres apresentarem ciclos irregulares, o que poderia levar a uma mudança no período fértil. Entenda melhor acessando nosso texto: Dia fértil.

Conhecer o período fértil pode ser útil para quem está planejando uma gravidez.
Conhecer o período fértil pode ser útil para quem está planejando uma gravidez.

Menopausa

Com o passar dos anos, vai havendo uma perda gradativa de folículos primários, restando um número bastante reduzido após os 40 anos e praticamente acabando após os 50. A ausência desses folículos é a principal causa da menopausa. Na menopausa, a mulher para de ovular e menstruar, chegando ao fim de seu período reprodutivo.

Durante o período que precede a menopausa e após seu início, a mulher pode sentir diversos desconfortos, decorrentes das alterações hormonais. Mudanças de hábitos na alimentação e a prática de atividades físicas podem ajudar a diminuir esses desconfortos. No entanto, é importante sempre conversar com um médico de confiança para receber orientações sobre a melhor forma de enfrentar esse período.

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados