Menopausa

Você está aqui:

Menopausa é um evento fisiológico natural caracterizado pela suspensão definitiva da menstruação, encerrando-se, assim, sua fase reprodutiva. A menopausa ocorre, geralmente, entre os 45 e 55 anos de idade. Antes dela, a mulher passa por um período de transição, o chamado climatério, quando se observa a diminuição na produção de hormônios e um declínio na fertilidade. Além do climatério, a mulher também passa pela perimenopausa, que antecede a menopausa e segue até o primeiro ano após esse evento.

Algumas mulheres relatam sentir alguns sintomas durante esse período, os quais causam grande desconforto. Dentre eles podemos citar os fogachos, a insônia e a depressão. O tratamento desses sintomas pode ser feito por meio de reposição hormonal, uso de medicamentos e manutenção de hábitos de vida saudáveis.

Leia mais: Aparelho reprodutor feminino – conjunto de órgãos responsáveis pelo processo reprodutivo

O que é a menopausa?

A menopausa é um evento fisiológico natural em que ocorre a interrupção definitiva do ciclos menstruais. É muito importante na vida da mulher, pois, a partir desse momento, as ovulações encerram-se e, com isso, encerra-se a sua fase reprodutiva. A menopausa é reconhecida após 12 meses consecutivos de amenorreia (ausência de menstruação). A menopausa ocorre entre os 45 e 55 anos de idade. Quando ela ocorre antes dos 40 anos, é classificada como menopausa precoce; após os 55 anos, é classificada como menopausa tardia.

A menopausa é caracterizada pela suspensão definitiva da menstruação, encerrando-se, assim, a fase reprodutiva da vida da mulher.
A menopausa é caracterizada pela suspensão definitiva da menstruação, encerrando-se, assim, a fase reprodutiva da vida da mulher.

Causas da menopausa

A mulher nasce com todos os seus oócitos primários (gametas femininos), de 1 a 2 milhões deles, armazenados nos ovários dentro de folículos. No entanto, cerca de 500 amadurecerão, podendo ser fecundados, dando origem a um novo ser. A partir da puberdade, mensalmente um grupo de folículos retoma o seu desenvolvimento, no entanto, apenas um folículo completa a maturação, em que o ovócito primário completa a meiose iniciada ainda no período embrionário, dando origem ao oócito secundário, o qual será liberado dos ovários por meio da ovulação.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Se esse oócito for fecundado, ele completará seu desenvolvimento dando origem a um óvulo maduro, que se desenvolverá e dará origem a um novo ser. Caso não ocorra a fecundação e a implementação do embrião no útero, uma queda nos níveis dos hormônios ovarianos desencadeará a desintegração de parte do revestimento uterino, o qual é eliminado pela menstruação, dando início a um novo ciclo. Todo esse processo é regulado por dois hormônios, a progesterona e o estrogênio, produzidos pelos ovários.

Após cerca de 500 ciclos, quando ocorre a maturação dos últimos oócitos, encerra-se a ovulação e a menstruação. Esse evento é a menopausa. A partir desse momento, a produção de progesterona e o estrogênio cai de forma irreversível. Como mencionado, a menopausa é um processo natural, no entanto, ela pode ocorrer também devido a outros fatores, como a realização de cirurgia ginecológica em que se retira os ovários.

Leia também: Gametogênese – processo de produção dos gametas femininos e masculinos

A menopausa ocorre entre os 45 e 55 anos de idade, sendo observada uma redução definitiva na produção de estrogênio e progesterona pelos ovários.
A menopausa ocorre entre os 45 e 55 anos de idade, sendo observada uma redução definitiva na produção de estrogênio e progesterona pelos ovários.

O que é o climatério e a perimenopausa?

Muitas vezes a menopausa é chamada também de climatério, no entanto, não são a mesma coisa. A menopausa é o evento em que se encerra a ovulação e a menstruação; o climatério é o nome dado ao período que vai do fim da fase reprodutiva da mulher até a senilidade. A menopausa ocorre dentro desse período. Durante o climatério, ocorre o declínio das funções ovarianas, desencadeando alterações endócrinas que afetam os ciclos menstruais, causando irregularidades menstruais e evoluindo para a amenorreia.

A perimenopausa é o período que antecede a menopausa e segue até um ano após o fim das menstruações. Dura cerca de cinco anos e não tem um início bem definido, mas que pode ser caracterizado pelo surgimento das irregularidades menstruais a partir dos 40 anos de idade.

Acesse também: Dia fértil – período em que a mulher está mais propícia a engravidar

Sintomas da menopausa

Algumas mulheres não apresentam sintomas no climatério nem na menopausa. No entanto, quando presentes, eles podem apresentar-se de diversas formas, como estas:

  • Irregularidades nos ciclos menstruais;

  • Ondas de calor, também chamadas de fogachos. Elas são sentidas por 75% das mulheres e surgem de forma súbita, afetando face, pescoço e tronco, sendo acompanhadas de vermelhidão na pele, fadiga, suores intensos (sudorese), vertigem e palpitação.

  • Insônia;

  • Irritabilidade;

  • Ansiedade;

  • Depressão;

  • Perda de memória;

  • Incontinência urinária;

  • Ressecamento vaginal;

  • Dor durante o ato sexual e perda de libido;

  • Infecções urinária e ginecológicas;

  • Perda de massa óssea (osteoporose);

  • Aumento de gordura localizada nos seios e abdome;

  • Aumento do risco de doenças cardiovasculares.

Ondas de calor, conhecidas como fogachos, são o sintoma mais sentido durante o climatério, sendo relatado por 75% das mulheres.
Ondas de calor, conhecidas como fogachos, são o sintoma mais sentido durante o climatério, sendo relatado por 75% das mulheres.

Tratamento da menopausa

Algumas mulheres, como mencionado, sentem alguns desconfortos decorrentes da redução na produção de hormônios ainda no climatério. Assim, o tratamento de reposição hormonal é o mais aconselhável para reduzir esses desconfortos e prevenir a osteoporose.

Entretanto, deve-se ficar atento, pois esse tipo de tratamento não é recomendado para todas as mulheres. Ele deve ser evitado, por exemplo, por quem já teve câncer de mama ou de endométrio, tromboembolismo, doenças hepáticas, doença coronariana, acidente vascular cerebral, sangramento genital sem causa definida, entre outras doenças que deverão ser avaliadas pelo médico.

Essa restrição deve-se ao fato de a reposição hormonal apresentar certo risco de desenvolvimento de algumas doenças, como trombose, embolia pulmonar, câncer de mama e acidente vascular cerebral. Diante disso, deve ser feita uma avaliação profunda dos benefícios e malefícios que o tratamento pode causar em cada paciente. Esse tratamento também não pode exceder os cinco anos, para evitar efeitos indesejados.

Além da reposição hormonal, a utilização de alguns medicamentos pode ajudar no tratamento dos sintomas que algumas mulheres sentem nesse período, como antidepressivos, cremes vaginais, lubrificantes, sendo que o médico avaliará cada sintoma e indicará o melhor método.

É importante destacar que muitas mulheres apresentam melhora significativa dos sintomas com mudanças de hábitos, por exemplo, passando a praticar atividades físicas regularmente, alimentando-se de forma saudável, controlando o peso, e evitando o tabagismo e o excesso de álcool.

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados