Neoplasia

Você está aqui:

Neoplasia é uma proliferação desordenada de células no organismo, formando, assim, uma massa anormal de tecido. Pode ser classificada como benigna ou maligna. A neoplasia benigna tem, geralmente, crescimento lento, ordenado e apresentando limites definidos. A neoplasia maligna, também conhecida como câncer, de forma geral, tem um crescimento mais rápido, as células não apresentam diferenciação e invadem tecidos vizinhos.

As neoplasias podem ser ocasionadas por fatores genéticos ou ambientais. Diante disso, alguns cuidados, como não fumar e evitar exposição ao Sol entre as 10 e 16 horas, sem proteção adequada, podem auxiliar na prevenção de alguns tipos de câncer. O tratamento é determinado pelo médico, que deve levar em consideração, por exemplo, o tipo de neoplasia e o estado clínico do paciente.

Veja também: Câncer – saiba mais sobre a 2ª maior causa de mortes no Brasil

O que é neoplasia?

Neoplasia, também denominada de tumor, é um crescimento desordenado de células no organismo. Esse crescimento desordenado leva à formação de uma massa anormal de tecido. A maioria das células dos tecidos estão em constante multiplicação, até mesmo porque essa é uma forma de repor as células mortas. No entanto, esse crescimento é controlado por diversos fatores. Nas neoplasias, as células sofrem alterações e a sua proliferação passa a ser desordenada.

Nas neoplasias, as células sofrem alterações e a sua proliferação passa a ser desordenada.
Nas neoplasias, as células sofrem alterações e a sua proliferação passa a ser desordenada.

As neoplasias apresentam dois componentes básicos: um parênquima, composto por células em proliferação, as quais determinam o comportamento e as consequências da doença, e um estroma, formado por tecido conjuntivo e vasos sanguíneos, os quais definem o crescimento e a evolução da neoplasia. É importante destacar aqui que nem toda neoplasia é um câncer. O termo câncer é utilizado para se referir às neoplasias malignas, como veremos mais adiante.

Leia também: Mutação: o que é e por que acontece?

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Tipos de neoplasia

As neoplasias podem ser de dois tipos, benigna ou maligna, como podemos ver a seguir.

Neoplasia benigna

A neoplasia benigna, também chamada de tumor benigno, caracteriza-se por apresentar células bem semelhantes às do tecido original, ou seja, apresentam diferenciação; crescem de forma lenta; são bem vascularizadas; comprimem os tecidos vizinhos, no entanto, não os infiltram. A migração dessas células só ocorre em caso de lesão ou rompimento do tecido.

Embora seja denominada de benigna, essa neoplasia também pode gerar complicações, pois comprime órgãos e vasos, além de poder causar a secreção em excesso de algumas substâncias, o que pode ser prejudicial. Um exemplo de neoplasia benigna que pode causar complicações severas são as pancreáticas, pois podem desencadear uma secreção excessiva de insulina, podendo levar a uma hipoglicemia fatal.

Neoplasia maligna

A neoplasia maligna, também chamada de tumor maligno ou câncer, caracteriza-se por um crescimento mais rápido do que a benigna e suas células são menos diferenciadas, o que faz com que muitas percam a sua função no tecido original. Como essas células apresentam uma redução das estruturas juncionais e moléculas de adesão, elas apresentam maior mobilidade, invadindo os tecidos adjacentes.

Além de serem agressivas localmente, as neoplasias malignas podem também se propagar pelo organismo em um processo denominado de metástase, em que há a formação de uma nova massa tumoral a partir de uma primeira sem que haja, no entanto, continuidade entre elas. Isso ocorre porque as células da massa tumoral primária podem desprender-se e entrar na corrente sanguínea ou vasos linfáticos, deslocando-se pelo organismo e fixando-se em outro local, no qual dará origem a um novo tumor.

Nas neoplasias malignas, as células podem invadir tecidos adjacentes.
Nas neoplasias malignas, as células podem invadir tecidos adjacentes.

Causas de neoplasia

As neoplasias apresentam inúmeras causas, podendo ser desencadeadas por fatores genéticos ou ambientais. Esses fatores causam alterações em genes e proteínas, o que ocasiona proliferação, bem como a perda da diferenciação celular. As neoplasias benignas estão mais relacionadas com fatores genéticos.

Dentre os fatores ambientais que podem desencadear neoplasias, principalmente as malignas, podemos destacar algumas substâncias químicas, como os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos presentes no cigarro, um dos principais causadores de câncer no pulmão; vírus, como o Papiloma Vírus Humano (HPV), causador de uma infecção sexualmente transmissível e um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento de câncer de colo de útero; além de radiações, como a ultravioleta, que pode desencadear o câncer de pele, quando ocorre uma exposição excessiva a ela.

A exposição aos raios ultravioletas sem a devida proteção pode desencadear o câncer de pele.
A exposição aos raios ultravioletas sem a devida proteção pode desencadear o câncer de pele.

Alguns hábitos alimentares não saudáveis, consumo de álcool e uso de determinados medicamentos devem ser observados, pois também podem desencadear o desenvolvimento de neoplasias.

Acesse também: Efeitos nocivos do Sol

Sintomas e diagnóstico de neoplasia

Os sintomas variam conforme a região onde está localizado o tumor. Em casos de tumores no sistema digestório, por exemplo, é comum grande perda de peso sem motivo aparente. Já no sistema respiratório, a fadiga pode ser um sinal. Assim, mediante o surgimento de sintomas, exames serão solicitados para realizar o diagnóstico, como tomografia, ressonância magnética e biópsia.

O diagnóstico também pode ser realizado por meio do rastreamento, que é a realização de exames em pessoas assintomáticas com o objetivo de diagnosticar precocemente o desenvolvimento de um tumor. Atualmente, o rastreamento é indicado para o câncer de mama e o de colo de útero. O diagnóstico precoce é um grande aliado no tratamento das neoplasias.

Prevenção da neoplasia

Alguns fatores de risco podem contribuir para o desenvolvimento de neoplasias, principalmente as malignas, como o tabagismo, o alcoolismo e a obesidade. Assim, alguns cuidados podem auxiliar na prevenção de alguns tipos de tumor, como:

  • Não fumar;
  • Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas;
  • Alimentar-se de forma saudável;
  • Realizar atividades físicas diariamente;
  • Manter o peso corporal adequado;
  • Evitar exposição ao Sol, sem proteção, entre as 10 e 16 horas;
  • Amamentar (A amamentação exclusiva até os 6 meses de idade do bebê pode contribuir na prevenção da mãe contra o câncer de mama.);
  • Realizar periodicamente exame preventivo ginecológico (Mulheres, conversem com seu médico!);
  • Vacinar contra o HPV as meninas de 9 a 14 anos e os meninos de 11 a 14 anos.

Veja também: Benefício das atividades físicas

Tratamento da neoplasia

O tratamento das neoplasias varia conforme o tipo detectado. Geralmente, as neoplasias benignas não requerem tratamento, devendo ser apenas realizado o acompanhamento médico. No entanto, em alguns casos, como quando ocorre a compressão de determinados órgãos, uma cirurgia pode ser realizada.

As neoplasias malignas podem ser tratadas por meio da realização de cirurgia, quimioterapia, radioterapia e, até mesmo, transplante, como o de medula óssea. O médico avaliará qual a melhor forma de tratamento, mediante o tipo de neoplasia, e o estado clínico do paciente, podendo, inclusive, fazer uso de mais de uma forma de tratamento. Todos esses tratamentos são oferecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados