Urso panda

Você está aqui:

O urso panda, também conhecido como panda-gigante, é o nome popular da espécie Ailuropoda melanoleuca, pertencente à classe Mammalia, ordem Carnivora e família Ursidae. Esses animais habitam as florestas de algumas regiões da China, medem cerca 1,5 m e pesam cerca de 100 kg.

O urso panda, embora pertencente à ordem Carnivora, alimenta-se principalmente de bambu, sendo que apenas 1% de seu alimento é de origem animal. O período reprodutivo da fêmea dura de 24 a 72 horas e ocorre apenas uma vez por ano. Na maioria das vezes, gera-se apenas um filhote. O status de conservação do urso panda, pela União Internacional Para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), é vulnerável.

Leia mais: Bicho-preguiça – mamífero que habita desde a América Central à América do Sul

Características gerais do urso panda

O urso panda, também chamado de panda-gigante, é uma espécie que habita as regiões de florestas de bambu na China. É um animal de grande porte que pesa entre 75 kg e 160 kg e mede entre 1,20 m e 1,50 m. Assim como outros ursos, apresenta pelos longos, no entanto, sua coloração é bem característica em preto e branco, sendo que a coloração preta é observada ao redor dos olhos, nas orelhas, no focinho, nas pernas e nos braços.

A sua coloração branca permite que ele camufle-se na neve, e a coloração preta, nas sombras das florestas. Acredita-se que a coloração preta em torno dos olhos e nas orelhas possa ser uma forma de comunicação, além de mostrar agressividade contra os predadores, como o leopardo das neves.

O urso panda habita regiões de florestas de bambu na China.
O urso panda habita regiões de florestas de bambu na China.

O urso panda possui mandíbulas grandes e musculosas e dentes molares largos e planos, o que os auxilia no processo de digestão. Além disso, apresenta o osso do pulso desenvolvido, como um polegar opositor que o auxilia a segurar objetos, como o seu alimento.

Os pandas são animais solitários e marcam seus territórios pela urina e arranhando árvores, sendo assim, seu encontro com outros animais da espécie ocorre mais na época reprodutiva.

Diferentemente de outras espécies de ursos, eles não hibernam, pois seu principal alimento continua disponível mesmo com as mudanças de estações, e, quando o tempo torna-se mais frio, eles se deslocam para regiões com climas mais amenos. Na natureza, esses animais vivem de 15 a 20 anos, e, em cativeiro, podem chegar aos 35 anos de idade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Alimentação do urso panda

O urso panda pertence à ordem Carnivora, no entanto, a maior parte de sua alimentação é de origem vegetal. Assim, seu organismo não permite uma digestão eficiente de seu principal alimento, o bambu, que é pobre em nutrientes e rico em fibras. Diante disso, o urso panda precisa consumir grandes quantidades dele, entre 12 kg e 38 kg por dia. Além disso, ele seleciona as partes mais nutritivas dessa planta, de acordo com as diferentes estações.

O urso panda pode chegar a comer 38 kg de bambu por dia.
O urso panda pode chegar a comer 38 kg de bambu por dia.

O panda alimenta-se de 30 espécies de bambu e também ingere alimentos de origem animal, como insetos, ovos e pequenos roedores. No entanto, a quantidade ingerida desse tipo de alimento é muito pequena e corresponde a 1% de sua alimentação.

Leia também: Coala – animal erroneamente considerado urso

Reprodução do urso panda

Os pandas são animais solitários, e seu encontro com outros indivíduos da espécie ocorre, geralmente, em época reprodutiva, sendo que essa associação não dura mais do que quatro dias. Os pandas atingem sua maturidade sexual entre 5,5 e 6,5 anos de idade. O período reprodutivo da fêmea dura de 24 h a 72 h e ocorre uma vez ao ano.

O período gestacional do panda pode durar até nove meses e origina, na maioria das vezes, um filhote, com taxa reprodutiva de um indivíduo a cada dois anos. Em cativeiro, devido à realização de processos de fertilização, é mais comum a ocorrência de gêmeos.

Os filhotes nascem rosa, medem cerca de 15 cm e pesam de 90 g a 200 g. Eles nascem cegos e só abrem os olhos entre seis e oito semanas após o nascimento. Os filhotes são amamentados pela mãe até nove meses de idade e vivem junto a elas até os 18 meses.

O filhote do panda nasce rosa, medindo cerca de 15 cm e pesando até 200 g.
O filhote do panda nasce rosa, medindo cerca de 15 cm e pesando até 200 g.

Conservação do urso panda

Como dito, o urso panda habita as regiões de florestas de bambu na China. A sua distribuição já foi bem maior, mas, devido à expansão urbana e ao desenvolvimento do país, ele perdeu grande parte de seu habitat, chegando, inclusive, a ser classificado, segundo a IUCN, como ameaçado de extinção.

Uma estratégia utilizada para a preservação da espécie é a reprodução em cativeiro.
Uma estratégia utilizada para a preservação da espécie é a reprodução em cativeiro.

No entanto, diante de diversas estratégias elaboradas para a preservação da espécie, como a recuperação de seu habitat pela expansão e criação de novas reservas e a reprodução em cativeiro, atualmente ele está classificado como vulnerável.

Leia também: Animais ameaçados de extinção: categorias de risco e exemplos

Curiosidade sobre pandas

Um outro animal que recebe o nome de panda é o panda-vermelho (Ailurus fulgens), também conhecido como panda-pequeno. Diferentemente do panda-gigante, o panda-vermelho não é um urso. Embora já tenha sido classificado na família Ursidae (ursos) e Procyonidae (guaxinim), atualmente ele pertence à família Ailuridae, sendo seu único representante. Esses animais habitam as montanhas do Nepal, Myanmar e China central.

 O panda-vermelho não é um urso e pertence à família Ailuridae.
O panda-vermelho não é um urso e pertence à família Ailuridae.

O panda-vermelho mede cerca de 50 cm a 66 cm (cabeça-corpo), com uma cauda de até 50 cm, e pesa entre 5,5 kg e 9 kg. Assim como o panda-gigante, apresenta o osso do pulso desenvolvido e alimenta-se de bambu, no entanto, também faz parte de sua dieta frutas, raízes e ovos.

O panda-vermelho passa a maior parte de sua vida sobre as árvores, e, devido à destruição de seu habitat, ele está classificado, segundo a IUCN, como em perigo de extinção.

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados