Predatismo (predação)

Você está aqui:

Predatismo ou predação é uma relação ecológica interespecífica desarmônica, ou seja, uma relação ecológica em que apenas uma espécie é beneficiada. Nesse tipo de interação, indivíduos de uma espécie (predadores) matam e se alimentam de indivíduos de outra espécie (presa). Um exemplo clássico de predatismo é o que ocorre entre leões e zebras e entre serpentes e ratos.

Os predadores geralmente apresentam algumas características que os ajudam a encontrar e capturar suas presas, como visão ou olfato aguçados. Já as presas também podem apresentar algumas características, tanto físicas como comportamentais, que as ajudam a fugir do predador, por exemplo, a vida em bando.

Os organismos de uma comunidade interagem de diferentes formas. Essas interações recebem o nome de interações ecológicas e podem ter diversos objetivos, como a alimentação e a conquista de territórios. As interações ecológicas podem ser classificadas em interespecíficas ou intraespecíficas e em harmônicas e desarmônicas.

Leia também: O que são os níveis de organização em ecologia?

No predatismo um animal mata e se alimenta de um indivíduo de outra espécie.
No predatismo um animal mata e se alimenta de um indivíduo de outra espécie.

O que é predatismo?

Predatismo ou predação é uma relação ecológica interespecífica, ou seja, ocorre entre espécies diferentes, e desarmônica (apenas uma espécie é beneficiada). Nessa relação, indivíduos de algumas espécies, denominados predadores, utilizam organismos vivos de outras espécies, denominadas presas, como alimento. A herbivoria pode ser considerada como um tipo de predação em casos em que o animal herbívoro se alimenta da planta inteira, e não apenas de partes dela.

Os animais predadores podem esperar a chegada de sua presa, mas muitas vezes precisam caçá-las para se alimentar. Assim, esses animais apresentam diversas adaptações que os auxiliam nesse processo, como:

  • alcançam altas velocidades na locomoção, como é o caso dos guepardos, que podem alcançar até 115 km/h;

  • alguns apresentam uma visão aguçada, como é o caso das corujas, que enxergam muito bem, inclusive à noite;

  • muitos apresentam olfato aguçado, o que lhes permite identificar e localizar a presa;

  • garras e dentes afiados ou, até mesmo, veneno, o qual é utilizado para capturar e matar a presa.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

As presas também apresentam algumas características que as auxiliam na defesa contra predadores, sejam comportamentais, como viver em bandos, assim como fazem as zebras, sejam físicas. Dentre as adaptações físicas, podemos destacar a presença de estruturas como espinhos, que ajudam a afastar os predadores, e também a produção de substâncias com fortes odores e até mesmo tóxicas. Uma característica que pode ser encontrada tanto em presas como em predadores é a capacidade de se camuflar no ambiente (mimetismo), seja para fugir do predador, seja para esperar a chegada da presa.

Veja também: Animais carnívoros – animais cuja dieta baseia-se no consumo de outros animais

Alguns predadores apresentam adaptações, como afiados dentes, para capturar e matar sua presa.
Alguns predadores apresentam adaptações, como afiados dentes, para capturar e matar sua presa.

Importância da predação

Os predadores podem atuar controlando o tamanho das populações de algumas espécies. Quando o tamanho populacional de sua presa começa a diminuir, muitas espécies buscam se alimentar de presas que estejam em maior abundância no ambiente. Isso mostra que eles, geralmente, não apresentam uma preferência por determinado alimento, mas sim se alimentam de acordo com a disponibilidade de recurso.

Mesmo espécies que apresentam uma preferência alimentar podem modificar seus hábitos mediante a escassez de determinado alimento, incorporando-o novamente à sua dieta quando aumenta sua disponibilidade. No entanto, algumas espécies se alimentam de determinadas presas mesmo que a sua disponibilidade seja pequena, sendo chamados de predadores especialistas.

Interações ecológicas

Os organismos de uma determinada comunidade interagem de diferentes formas com diferentes objetivos, como para a obtenção de alimentos, reprodução e conquista de território. Quando essas relações ocorrem entre indivíduos de uma mesma espécie, são denominadas intraespecíficas. Quando ocorrem entre espécies diferentes, são chamadas de interespecíficas.

Essas relações muitas vezes acabam beneficiando os dois organismos que se relacionam ou beneficiando apenas um, mas sem causar danos ao outro. Quando isso ocorre, chamamos essas relações de harmônicas. São exemplos de relações harmônicas o mutualismo e o comensalismo.

No entanto, quando apenas um indivíduo é beneficiado, causando danos ao outro, essa relação é chamada de desarmônica. São exemplos de relações desarmônicas:

  • predatismo ou predação;

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados