Herbivoria

Você está aqui:

A herbivoria é uma interação ecológica interespecífica e desarmônica, na qual um animal alimenta-se de algas ou plantas ou de partes delas. Os animais herbívoros ocupam a segunda posição na cadeia alimentar, pois sempre se alimentam dos organismos produtores. A herbivoria é uma importante interação, pois pode auxiliar no processo de dispersão de sementes e polinização.

Os animais herbívoros apresentam diversas adaptações em seus sistemas digestórios para alimentarem-se. Dentre essas adaptações, podemos citar a presença de dentes especializados em alguns vertebrados para auxiliar no processamento do material vegetal.

Além da herbivoria, diversos outros tipos de interações ocorrem entre os seres vivos, são as chamadas interações ecológicas. Elas podem ser classificadas em intraespecíficas, quando ocorrem entre indivíduos de uma mesma espécie; interespecíficas, quando ocorrem entre indivíduos de espécies diferentes; harmônicas, quando não causam prejuízos a nenhum dos indivíduos; e desarmônicas, quando um indivíduo é prejudicado.

Leia mais: Cadeia e teia alimentar – representação de relações alimentares em um ecossistema

Na herbivoria, um organismo alimenta-se de algas ou plantas.
Na herbivoria, um organismo alimenta-se de algas ou plantas.

O que é herbivoria?

A herbivoria é uma interação ecológica interespecífica, pois ocorre entre indivíduos de espécies diferentes, e desarmônica, pois um indivíduo é prejudicado. Nesse tipo de interação, um organismo alimenta-se de algas ou plantas ou apenas de partes delas. Quando ocorre a ingestão da planta por inteiro, essa interação pode também ser considerada predação.

Os organismos que se alimentam de algas e plantas são denominados herbívoros. Esses animais ocupam a segunda posição nas cadeias alimentares, sendo chamados de consumidores primários, pois alimentam-se sempre dos organismos produtores. No entanto, alguns animais onívoros também podem ocupar essa posição, já que eles ingerem alimentos tanto de origem animal quanto de origem vegetal. A maioria dos animais herbívoros é de insetos, como lagartas e gafanhotos.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Adaptações na herbivoria

Na herbivoria podemos observar adaptações tanto nos herbívoros, para obterem seu alimento ou auxiliar no processo de digestão, quanto nas plantas, como uma forma de evitar a predação. Nos insetos herbívoros, podemos observar, por exemplo:

  • peças bucais perfuradoras em insetos que se alimentam de sucos vegetais, como as cigarras;

  • sugadoras em insetos que se alimentam de néctar, como as borboletas;

  • peças adaptadas tanto para mastigar quanto para sugar, como nas abelhas.

Em alguns animais vertebrados, podem ser observadas adaptações

  • nas dentições, de forma a auxiliar tanto no corte como na trituração;

  • no sistema digestório, com a presença de micro-organismos que auxiliam na digestão da celulose;

  • no estômago, com a sua compartimentação (ruminantes).

As plantas também apresentam adaptações para protegerem-se da herbivoria, como

  • a presença de espinhos e acúleos (estruturas semelhantes a espinhos);

  • a produção de compostos tóxicos.

Alguns estudos mostram que as defesas das plantas podem ser induzidas pela ação dos herbívoros. Plantas que sofrem maior herbivoria apresentam maior concentração e maior diversidade de compostos tóxicos. Da mesma forma, os herbívoros acabam desenvolvendo formas de desintoxicar-se de alguns compostos.

Veja também: Três plantas tóxicas presentes no dia a dia

Muitas plantas apresentam adaptações para evitar a herbivoria, como a presença de espinhos e acúleos.
Muitas plantas apresentam adaptações para evitar a herbivoria, como a presença de espinhos e acúleos.

Importância da herbivoria

A herbivoria apresenta grande importância ecológica, pois, ao alimentarem-se de determinadas plantas, os animais auxiliam tanto na dispersão de suas sementes, permitindo que elas possam germinar-se em novos ambientes, quanto no processo de polinização de algumas espécies.

Interações ecológicas

Dentro de uma comunidade, os organismos relacionam-se de inúmeras formas, e essas realações recebem o nome de interações ecológicas. Os organismos interagem de forma contínua e com inúmeros objetivos, como reprodução, conquista de território e alimentos. As interações ecológicas podem ser classificadas como:

  • Intraespecíficas: quando ocorrem entre indivíduos de uma mesma espécie;

  • Interespecíficas: quando ocorrem entre indivíduos de espécies diferentes;

  • Harmônicas: quando se beneficiam os dois organismos que se relacionam ou apenas um deles, mas não causando danos ao outro. Exemplos: mutualismo e comensalismo;

  • Desarmônica: apenas um indivíduo é beneficiado, causando danos ao outro. Exemplos: herbivoria, predação, parasitismo, amensalismo e competição.

Saiba mais sobre essas relações entre organismos acessando o texto: Relações ecológicas.

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados