Prevenção contra Doenças Sexualmente Transmissíveis

Você está aqui:
Para a prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis, deve-se ficar atento, principalmente, à utilização de camisinha em toda relação sexual.

Quando pensamos em doenças sexualmente transmissíveis, logo imaginamos que essas doenças são transmitidas apenas por contato sexual desprotegido. Apesar de esse meio de transmissão ser o mais comum, elas podem ser contraídas de outras formas, como por meio do compartilhamento de objetos e em transfusões de sangue. Assim sendo, é fundamental estar atento a algumas regras básicas de prevenção.

Camisinha

A camisinha, seja a masculina, seja a feminina, é a maneira mais fácil e eficiente de prevenir-se contra uma doença sexualmente transmissível. Feita de látex, no caso da masculina, e de poliuretano, no caso da feminina, as camisinhas impedem a passagem de organismos causadores de doenças, tais como o HIV, além de evitar uma gravidez indesejada. Estima-se que o risco de transmissão de doenças com o uso de camisinha seja apenas de 5%.

Para não perder a sua eficiência, no entanto, a camisinha deve ser armazenada em locais que não possuem calor intenso. Portanto, não deve ser colocada em bolsas, bolso de calças ou ser deixada em porta-luvas de carros. Vale destacar também que a camisinha masculina não pode ser usada ao mesmo tempo que a feminina para evitar que elas se rompam com o atrito.

Para prevenir-se de doenças, além dos cuidados acima, deve-se observar atentamente o modo correto de usar. O uso incorreto pode causar o rompimento e, consequentemente, expor os indivíduos a doenças e à gravidez.

Vale destacar que as camisinhas podem ser obtidas gratuitamente na rede pública de saúde. Por meio do Disque Saúde (136), você pode descobrir o local mais próximo para retirar o preservativo.

Parceiros sexuais

O grande número de parceiros sexuais pode favorecer a contaminação por alguma doença sexualmente transmissível, uma vez que expõe os indivíduos a uma maior quantidade de pessoas sexualmente ativas. Sendo assim, uma forma de prevenir-se de doenças é ter poucos parceiros sexuais.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Uso de drogas

O uso de drogas é um grande responsável pela transmissão de doenças sexualmente transmissíveis. Isso porque muitas pessoas compartilham seringas, agulhas e outros objetos que favorecem a contaminação. Além do risco de transmissão em virtude do uso de objetos com material biológico, o uso de drogas favorece a contaminação por DST porque pode levar a um comportamento de risco, como a relação sexual desprotegida. Assim sendo, pode-se evitar DSTs não utilizando drogas e não compartilhando objetos perfurocortantes.

Transfusão de sangue

A contaminação por transfusão de sangue, apesar de não ser um meio de transmissão de doenças muito comum nos dias atuais, pode ocorrer quando o controle de qualidade do sangue e dos derivados não é feito de maneira adequada. No nosso país, várias políticas garantem um sangue de qualidade para procedimentos médicos, o que nos protege contra DSTs e outras infecções.

Gravidez e amamentação

Durante o parto ou até mesmo no momento da amamentação, muitas doenças podem ser transmitidas ao bebê. Esse problema pode ser evitado com um pré-natal de qualidade que garantirá um parto adequado e informará as mães sobre as medidas que devem ser tomadas para evitar a contaminação da criança após o nascimento.

Tatuagens e salões de beleza

Assim como já ressaltado no caso de uso de drogas, pode ocorrer contaminação por intermédio do compartilhamento de material perfurocortante. Dessa forma, é importante observar se os produtos usados por tatuadores e salões de beleza estão devidamente esterilizados ou se são descartáveis. Uma dica importante é sempre levar seu próprio material para os salões.


Por Ma. Vanessa dos Santos

A camisinha é a melhor forma de prevenir-se contra DSTs
A camisinha é a melhor forma de prevenir-se contra DSTs
Por Vanessa Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados