Elefante

Você está aqui:

Os elefantes pertencem à Classe mammalia, Ordem Proboscidea e Família Elephantidae. Eles são os maiores animais terrestres viventes, são herbívoros e habitam algumas regiões da África e da Ásia. São conhecidas duas espécies de elefantes, a Loxodonta africana (elefante africano) e a Elephas maximus (elefante asiático).

Além de chamarem a atenção pelo grande tamanho, esses animais apresentam algumas características peculiares, como a presença de uma longa probóscide (tromba), que possui diversas funções, como beber água e arrancar ervas que serão utilizadas na alimentação. Vivem em grupos, podendo também ser encontrados machos solitários, que se aproximam das fêmeas apenas em época reprodutiva. Os elefantes originam um filhote por gestação, e esta dura cerca de 22 meses.

O elefante africano está classificado, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), como vulnerável. Já o elefante asiático está classificado como em perigo de extinção.

Os elefantes são mamíferos de grande porte, herbívoros, sendo geralmente encontrados vivendo em bandos.
Os elefantes são mamíferos de grande porte, herbívoros, sendo geralmente encontrados vivendo em bandos.

Características gerais dos elefantes

Os elefantes são animais mamíferos e pertencentes à Ordem Proboscidea. Dentre suas características, podemos destacar:

  • Corpo de grandes proporções coberto por uma pele grossa, frouxa e com pelos distribuídos de forma espaçada, auxiliando-os na transferência de calor do corpo para o ambiente e funcionando como um mecanismo de termorregulação.
  • Apresentam uma cabeça grande com orelhas largas e achatadas, sendo que estas possuem formas e marcas especiais, como uma impressão digital.
  • Apresentam uma probóscide (tromba) longa e muscular formada pelo lábio superior e nariz. Ela desempenha diversas funções, como a manipulação de objetos e a ingestão de água.
  • Apresentam grandes presas (dentes incisivos modificados) e grandes dentes molares, sendo um ou dois funcionais, ao mesmo tempo, em cada lado do maxilar. Quando o molar se gasta, outro se rompe.
  • Caminham com as patas eretas, as quais funcionam como pilares verticais. Os pés possuem 5, 3 ou 4 artelhos com cascos. Atrás dos artelhos encontra-se uma estrutura como uma almofada elástica, onde se apoia o peso.

Veja também: Urso panda – espécie de urso que habita algumas florestas da China

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Ecologia dos elefantes

Os elefantes originaram-se na África e atualmente habitam algumas regiões africanas e a Índia. São animais herbívoros, alimentando-se de gramíneas, ervas, bambu, cascas de árvores e raízes, muitas vezes causando diversos prejuízos por arrancar as árvores do solo. Esses animais podem ingerir mais de 200 quilos de alimento e mais de 100 litros de água por dia.

Eles vivem em bandos, e o macho só se aproxima da fêmea na época reprodutiva. A maturidade sexual ocorre em torno do 11º ano de idade. A gestação, a mais longa entre os animais mamíferos, dura cerca de 22 meses e dá origem a apenas um filhote.

Em um determinado período do ano, que dura cerca de três meses, à medida que a concentração de testosterona aumenta na corrente sanguínea, o macho adulto torna-se extremamente agressivo. Esse estágio é conhecido como Mush. Durante esse período, ele também emite sons como forma de avisar as fêmeas sobre o estado sexual e também afastar outros machos.

Quando os filhotes nascem, podendo pesar cerca de 100 kg, além da mãe, eles contam com os cuidados de outros membros do bando. Uma característica interessante dos elefantes é o zelo que têm uns com os outros, unindo-se contra possíveis predadores e auxiliando quando algum indivíduo está ferido, por exemplo.

Os bandos, que apresentam entre 10 e 30 indivíduos, são geralmente constituídos por fêmeas e liderados por elas. Em determinadas épocas do ano, esses bandos podem reunir-se em algumas regiões para pastar, sendo observados até 100 indivíduos em determinados horários. Os machos só permanecem unidos a esses bandos até atingir cerca de 12 anos; em seguida, passam a viver solitários ou em grupos de machos, liderados, geralmente, pelo indivíduo maior ou mais forte.

Os elefantes comunicam-se por meio de vocalizações e gestos, como o abanar de orelhas e toques com a tromba. Durante muito tempo, a caça intensa para a retirada de suas presas e fabricação de diversos objetos quase levou esses animais à extinção.

Acesse também: Coalas – mamíferos que sofreram redução em sua população devido à caça

Espécies de elefantes

Atualmente são conhecidas duas espécies de elefante. São elas:

  • Elefante africano (Loxodonta africana)

O elefante africano é encontrado em regiões ao sul do deserto do Saara, em cerca de 37 países africanos, habitando diferentes ambientes, como áreas florestais, pastagens, savanas, encostas de montanhas e praias. Os indivíduos dessa espécie medem cerca de 5 metros e podem pesar cerca de 7000 quilos. O elefante africano está atualmente classificado, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), como vulnerável.

O elefante africano é encontrado em cerca de 37 países da África, habitando os mais diversos ambientes.
O elefante africano é encontrado em cerca de 37 países da África, habitando os mais diversos ambientes.
  • Elefante asiático (Elephas maximus)

É uma espécie nativa da Índia e habita regiões como matas e pastagens. Os indivíduos dessa espécie medem cerca de 3 metros e pesam cerca de 5000 quilos. Uma característica interessante e que a diferencia do elefante africano é a ausência de presas nas fêmeas. O elefante asiático está atualmente classificado, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), como em perigo de extinção.

A fêmea do elefante indiano não apresenta presas.
A fêmea do elefante indiano não apresenta presas.

Curiosidades sobre os elefantes

  • O esqueleto de um elefante constitui cerca de 13% de sua massa corpórea.

  • Animais maiores trocam energia com o ambiente mais lentamente do que as espécies menores, devido à diferença da razão superfície-volume do indivíduo. Assim, os elefantes podem superaquecer facilmente quando em atividade, já que não conseguem perder calor para o ambiente de forma rápida. Diante disso, eles desviam grandes volumes de sangue para as orelhas e as abanam, liberando, assim, calor para o meio e promovendo o seu resfriamento.

  • Os elefantes são animais inteligentes e que apresentam uma excelente memória. São capazes, por exemplo, de aprender a realizar atividades que lhes são ensinadas, recordar-se de lugares, como rotas de imigração, e até mesmo de outros indivíduos que não veem há anos.

  • Os elefantes demonstram diferentes reações diante da morte de outros indivíduos, sejam eles próximos, sejam carcaças que encontram pelo caminho.  

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados