Heredograma

Você está aqui:

Heredograma é uma representação gráfica das relações de parentesco entre indivíduos. Por meio dele, podemos analisar como é o padrão de determinada herança genética dentro de uma família. O heredograma é constituído por símbolos que podem indicar, por exemplo, o sexo dos indivíduos, graus de parentesco, presença de um caráter afetado por determinada anomalia, e outras informações importantes.

Acesse também: Hereditariedade – transmissão de caracteres de uma geração à outra

Representação de um heredograma

O heredograma é uma representação gráfica, também conhecida como árvore genealógica, que apresenta os fenótipos (conjunto de características observáveis de um organismo, sejam morfológicas, sejam funcionais) dos membros de uma família e permite a análise do padrão de determinada herança genética dentro dessa família. O heredograma possui alguns símbolos. A seguir, apresentamos alguns deles e seus significados.

Veja também: Qual a diferença entre genótipo e fenótipo?

Exemplo de heredograma

Para compreender melhor como funcionam os heredogramas, veja o exemplo a seguir. Nele aparecem três indivíduos do sexo feminino (cujo símbolo é um círculo) afetados (símbolos escuros) por alguma característica determinada por um par de alelos. Os indivíduos afetados são o de número 2, na segunda geração (II-2), e os de número 3 e 6, na terceira geração (III-3 e III-6).

Os heredogramas permitem avaliar como ocorre a herança de algumas características.
Os heredogramas permitem avaliar como ocorre a herança de algumas características.

Analisando o heredograma, conclui-se que o caráter afetado é recessivo, ou seja, só se manifesta em homozigose.

O alelo (formas alternativas de um determinado gene que ocupam uma mesma posição relativa em cromossomos homólogos, que determinam um mesmo caráter) precisa estar em dose dupla para manifestar-se (consideraremos a letra a para representar o alelo responsável por determinar essa característica), pois o cruzamento de dois indivíduos normais (II-5 e II-6 ) originou uma filha afetada (III-6, genótipo aa).

Podemos concluir que os seus progenitores apresentam o genótipo Aa. Os irmãos do indivíduo III-6 (III-4 e III-5) apresentarão alelos Aa ou AA, já que não são afetados.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os indivíduos 1 e 2 da segunda geração (II-1 e II-2) darão origem a indivíduos afetados e não afetados. Como o indivíduo II-2 é afetado e apresenta genótipo aa, seus filhos III-1 e III-2 apresentarão genótipo Aa (não afetados), e o terceiro filho (III-3), aa (afetado).

Os indivíduos 1 e 2, na primeira geração (I-1 e I-2), não são afetados, mas, como têm uma filha afetada (II-2), eles apresentam genótipo Aa, sendo que seus filhos II-3 e II-4 poderão apresentar genótipo Aa ou AA (não afetados). Já a filha II-5 apresentará genótipo Aa, pois deu origem a uma filha afetada (6, terceira geração, aa).

Leia também: Doenças genéticas – o que são e exemplos

Exercícios sobre heredogramas

1. (Adaptado de ICB-UFMG) Numere no heredograma seguinte as gerações I, II, III e IV e os respectivos indivíduos. Em seguida, responda as questões:

a) Quantos homens estão representados nessa genealogia?

b) Quantas mulheres estão representadas?

c) Quantos indivíduos estão representados?

d) Quantos são os afetados?

Resolução

a) Nessa genealogia estão representados nove homens pelo símbolo quadrado.

b) Nessa genealogia estão representadas 13 mulheres pelo símbolo circular.

c) Nessa genealogia estão representados 22 indivíduos. Cada símbolo representa um indivíduo.

d) Nessa genealogia estão representados três indivíduos afetados pelos símbolos ranhurados.

2. (Albert Einstein - 2016) No heredograma a seguir, as pessoas indicadas por II.1 e III.2 são afetadas por uma dada característica:

Após a análise do heredograma, é correto afirmar tratar-se de característica

a) recessiva e ligada ao sexo, e a probabilidade de o casal indicado por II-2 e II-3 ter uma criança do sexo masculino com a característica é de 1/2.

b) dominante e ligada ao sexo, e a probabilidade de o casal indicado por II-2 e II-3 ter uma criança do sexo masculino com a característica é de 1/2.

c) autossômica dominante e, supondo que a mulher indicada por II-1 case-se com um homem afetado pela característica, a probabilidade de esse casal ter filhos com a característica é de 3/4.

d) autossômica recessiva, e a probabilidade de a mulher indicada por III-1 ser heterozigótica é de 2/3.

Resolução

Alternativa d.

Como II-1 e III-2 são afetados e seus pais são normais, conclui-se que se trata de uma característica autossômica recessiva. Assim, considerando a letra a para representar essa característica, os indivíduos II-1 e III-2 apresentam genótipo aa e seus pais são heterozigóticos, Aa.

Realizando o cruzamento entre os indivíduos II-2 e II-3, temos:

 

A

a

A

AA

Aa

a

Aa

aa

Assim, a probabilidade de a mulher III-1 ser heterozigótica (genótipo Aa) é de 2/3.

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados