Parto

Você está aqui:
O parto é o momento do nascimento da criança, ou seja, o fim de uma gravidez. O parto pode ser normal ou cesariana, ocorrendo intervenção cirúrgica nesse último caso.

Parto é o nome dado ao momento em que o bebê deixa o útero da mulher, finalizando o período de gestação. Trata-se, portanto, do nascimento da criança. O parto pode ocorrer de diferentes formas, sendo classificado basicamente em parto normal e cesárea. A seguir, falaremos mais sobre trabalho de parto, os tipos de parto existentes, bem como o que é falso trabalho de parto.

Trabalho de parto

O trabalho de parto compreende os vários processos que ocorrem no corpo da mulher levando à dilatação do colo do útero e à expulsão do bebê para o meio externo. Inicia-se com contrações uterinas que, com o tempo, tornam-se mais frequentes e dolorosas. Essas contrações, responsáveis pela expulsão do bebê e da placenta, ocorrem, principalmente, em virtude da ação do hormônio ocitocina.

Costuma-se dividir o trabalho de parto em quatro períodos distintos:

  • Primeiro período: Caracteriza-se pelo encurtamento (apagamento) e pela dilatação do colo do útero. Esse período pode ser dividido em duas partes:

    • Fase latente: É a fase inicial, lenta. Termina quando a mulher apresenta dilatação de 3 cm do colo.

    • Fase ativa: Inicia quando a mulher apresenta um colo com 4 cm de dilatação e termina com a dilatação completa. Nesse período, ocorre um aumento na frequência das contrações, sendo possível observar de 2 a 3 contrações a cada 10 minutos.

  • Segundo período: É a fase de expulsão do bebê, por isso, é conhecido como expulsivo. Inicia-se com a completa dilatação do colo. Durante esse período, a gestante começa a apresentar movimentos involuntários expulsivos.


No período expulsivo, observa-se a saída do bebê.

  • Terceiro período: Inicia-se depois da saída do bebê e finaliza-se com a expulsão da placenta e das membranas para o meio externo. Nesse período, observam-se o descolamento da placenta, sua descida e expulsão.

  • Quarto período: É considerado o período de estabilização do quadro da mulher. Durante, aproximadamente, uma a duas horas, a mulher ficará em observação para verificar se não estão ocorrendo hemorragias, por exemplo.

Vale salientar que alguns autores costumam dividir o trabalho de parto em apenas três fases, sendo a primeira responsável pelo afinamento e abertura do colo uterino, a segunda responsável pela expulsão do bebê e a última sendo aquela em que há liberação da placenta.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Verdadeiro e Falso Trabalho de Parto

No final da gestação, a mulher pode apresentar contrações, que podem fazer com que ela pense que está em trabalho de parto: é o falso trabalho de parto ou contrações de Braxton Hicks . O falso trabalho de parto, no entanto, apresenta algumas diferenças quando comparado ao trabalho de parto verdadeiro. Veja a seguir algumas diferenças entre eles:

  • O trabalho de parto verdadeiro provoca contrações regulares, enquanto o falso apresenta contrações irregulares.

  • No trabalho de parto verdadeiro, com o tempo, observa-se a redução do intervalo das contrações. No falso trabalho de parto, não há alterações.

  • A duração das contrações tende a aumentar no trabalho de parto verdadeiro. No trabalho de parto falso, permanece inalterada.

  • A intensidade das contrações aumenta no trabalho de parto verdadeiro e não se altera no falso.

Tipos de parto


O parto pode ser classificado em normal e cesárea.

Existem diferentes tipos de parto. Basicamente, podemos dividi-lo em dois: parto normal e cesariana. De uma maneira geral, podemos dizer que o parto normal é aquele em que o nascimento ocorre pela via vaginal de maneira espontânea. Já na cesariana, observa-se uma intervenção cirúrgica.

Leia também: Gravidez ectópica

Parto Normal

O parto normal é aquele em que se observa o nascimento da criança de maneira espontânea, entre 37 e 42 semana, pela via vaginal. De acordo com o Ministério da Saúde, esse é o parto mais seguro e o mais aconselhado caso não ocorra nenhum problema com a mãe ou com a criança que inviabilize esse tipo nascimento. A segurança desse parto está no fato de que os riscos de infecção, hemorragia e nascimento prematuro do bebê são menores.

No parto normal, o bebê sai espontaneamente pela vagina.
No parto normal, o bebê sai espontaneamente pela vagina.

O parto normal pode ocorrer de diferentes formas. Entre os diferentes tipos de parto, podemos citar:

  • Parto na água: A mulher dá à luz dentro de uma banheira com água aquecida. A água morna ajuda a aliviar as dores provocadas pelo trabalho de parto, proporcionando à mulher um maior conforto.


O parto na água ajuda a melhorar as dores causadas pelas contrações.

  • Parto de cócoras: A mãe fica na posição de cócoras, de modo a facilitar a saída do bebê. A posição também ajuda a aliviar as dores do parto.

Parto Cesárea

O parto cesárea é aquele que envolve procedimentos cirúrgicos para o nascimento do bebê. É recomendado em situações em que há risco para a mãe e/ou para a criança. De acordo com o Ministério da Saúde, em 2009, cerca de 34% dos partos realizados na rede pública foram cesáreas. Entretanto, apesar de muitos considerarem o valor relativamente pequeno, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o procedimento não ultrapasse 15%.

Na cesariana, é necessário realizar a incisão da parede abdominal.
Na cesariana, é necessário realizar a incisão da parede abdominal.

Como dito anteriormente, a cesariana não é um procedimento recomendado em todos os casos, uma vez que apresenta maior risco de complicações, como infecções e hemorragias, e apresenta um maior tempo de recuperação. De acordo com a campanha “Quem Espera, Espera”, da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância ), deve-se optar pela cesariana quando:

  • A mãe tem uma forma de hipertensão grave que descompensa;

  • A gestante é soropositiva para o vírus da Aids;

  • O cordão umbilical sai antes do bebê;

  • A placenta descola antes do nascimento do bebê;

  • A cabeça do bebê é desproporcional à passagem da mãe;

  • O bebê está atravessado ou sentado;

  • A localização da placenta impede a saída do bebê.

Parto Humanizado

De uma maneira simplificada, o parto humanizado pode ser definido como aquele em que a mulher tem sua vontade e seus sentimentos respeitados, garantindo um maior conforto e segurança para ela e para o bebê.

No parto humanizado, dizemos que a mulher possui autonomia, podendo escolher sua posição na hora do parto, escolhendo quem estará presente no momento e, até mesmo, como o ambiente será organizado para a chegada do bebê. Para essa autonomia, no entanto, é fundamental que a mulher receba informação comprovadas e de qualidade sobre cada tipo de parto.


No parto humanizado, espera-se que a mãe e a criança encontrem um ambiente acolhedor.

No parto humanizado, é comum a figura da doula, que acompanha a mulher durante a gestação e o parto. Essas profissionais não realizam procedimentos médicos, mas estão presentes ajudando a mulher a encontrar conforto e tranquilidade durante esse momento mágico.

Vale destacar que algumas pessoas não consideram a cesariana como um tipo de parto humanizado. Entretanto, outros grupos enfatizam que, em alguns casos, esse procedimento é necessário e, se feito apenas em situações adequadas e respeitando a segurança e a vontade da mulher, pode ser considerado humanizado.

Leia também: Importância da amamentação

Parto em casa

Atualmente, tem sido observado um aumento do número de mulheres que escolhem o parto em casa, também chamado de parto domiciliar. Entretanto, é importante frisar que esse tipo de parto só deve ser realizado em casos de gestação de baixo risco, ou seja, sem complicações. Além disso, é importante que esses partos sejam realizados por profissionais habilitados e que a gestante tenha como ser levada a um hospital caso ocorram complicações.

O parto é o momento no qual ocorre o nascimento do bebê.
O parto é o momento no qual ocorre o nascimento do bebê.
Por Vanessa Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados