Morcego

Você está aqui:

Os morcegos são mamíferos da Ordem Chiroptera, sendo seus únicos representantes, e estão distribuídos em duas Subordens, Megachiroptera e Microchiroptera, sendo que, no Brasil, não há representantes da primeira Subordem. No nosso país, a Ordem Chiroptera é a segunda em maior número de espécies entre os mamíferos, apresentando 164 espécies distribuídas em 56 gêneros.

Os morcegos são os únicos mamíferos que apresentam a capacidade de voar. Esses animais de hábitos noturnos possuem audição bastante aguçada e utilizam ecolocalização para a captura de presas. Os morcegos podem apresentar diferentes hábitos alimentares, alimentando-se, por exemplo, de frutos, insetos, peixes e até mesmo sangue.

Leia também: Coala – mamífero originário da Austrália que passa maior parte da vida em árvores

Características gerais dos morcegos

Os morcegos são mamíferos de pequeno porte, os maiores indivíduos pertencem a uma família de morcegos gigantes e podem apresentar até 1,7 metros de envergadura e pesar cerca de 1,2 kg. Apresentam geralmente olhos pequenos, grandes orelhas e dentes afiados.

Os morcegos possuem algumas características comuns a outros mamíferos, como o corpo coberto por pelos, sendo que a densidade desses pelos varia conforme a espécie, bem como a coloração, que varia, geralmente, entre o marrom e o pardo acinzentado.

Os morcegos são os únicos mamíferos com capacidade de voo verdadeiro
Os morcegos são os únicos mamíferos com capacidade de voo verdadeiro

O desenvolvimento embrionário dos morcegos ocorre no interior do corpo da fêmea, sendo esses mamíferos placentários. Os ciclos reprodutivos estão relacionados à disponibilidade de alimento, e a fêmea dá origem, geralmente, a um filhote por gestação.

Esses animais apresentam também algumas peculiaridades. Eles são os únicos mamíferos que possuem a capacidade de voo verdadeiro, e o que lhes permitem esse voo é a presença de uma asa membranosa, sustentada por longos membros anteriores, assim como o 2º e 5º dedos. Essa membrana estende-se pelos membros posteriores e, em alguns casos, pela cauda.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Apresentam, em seus pés, garras afiadas e curvas, as quais eles utilizam para pendurar-se de cabeça para baixo enquanto dormem durante o dia. Esses animais apresentam hábitos noturnos, e muitos utilizam a ecolocalização para orientarem-se e encontrarem seu alimento. Muitos utilizam também o som para comunicarem-se ou como sinal de alerta, sendo que alguns dos sons emitidos são inaudíveis pela espécie humana. Podem viver solitários ou em grupos.

Os morcegos prendem-se pelas garras dos membros posteriores para pendurar-se e dormir durante o dia.
Os morcegos prendem-se pelas garras dos membros posteriores para pendurar-se e dormir durante o dia.
  • Alimentação do morcego

Os morcegos apresentam hábitos alimentares bastante variados, podendo alimentar-se de frutos, sendo denominados frugívoros; pequenos vertebrados (como anfíbios e aves), carnívoros; insetos, insetívoros; peixes, piscívoros; flores, néctar e pólen, nectarívoros; sangue, hematófagos, entre outros hábitos.

Alguns morcegos podem também utilizar mais de um tipo de alimento para complementar sua dieta, sem falar nos onívoros, que apresentam uma dieta bem mais variada que os demais. A maioria é insetívora, e, embora os hematófagos causem medo, tendo sido criados, inclusive, diversos mitos a respeito deles, esses animais limitam-se a três espécies apenas.

  • Ecolocalização

Os morcegos apresentam uma audição bastante aguçada, e muitos se utilizam de um mecanismo denominado ecolocalização tanto para orientar-se quanto para capturar suas presas. Eles emitem uma corrente de som de alta frequência através da laringe e que é transmitida pela boca e nariz. Quando esse som bate em algo, como uma presa, emite um eco, indicando, assim, a direção e distância dos objetos.

Leia também: Ecolocalização em golfinhos: como funciona?

Ecologia dos morcegos

Os morcegos são de grande importância para os ecossistemas, pois atuam, por exemplo, no processo de polinização de algumas espécies, além de ajudarem no processo de dispersão de sementes (quiropterocoria), sendo de extrema importância para a dinâmica e regeneração de florestas.

Diante de sua habilidade de voar e, assim, conseguir chegar a lugares de difícil acesso devido à presença de diversas barreiras geográficas, eles conseguem dispersar uma grande quantidade de sementes em uma grande área e em um espaço de tempo menor do que outros animais.

Os morcegos contribuem com o controle de pragas, pois alimentam-se de insetos que podem ser prejudiciais às lavouras. No entanto, eles podem ser também prejudiciais, pois alguns são transmissores de doenças, como a raiva e a tripanossomíase de cavalos.

Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados