Girafa

Você está aqui:
A girafa é um mamífero da ordem dos Cetartiodactyla. Acredita-se que existam apenas uma espécie de girafa e nove subespécies habitando regiões de florestas e savanas africanas.

A girafa (Giraffa camelopardalis) é um mamífero da ordem dos Cetartiodactyla e da família Giraffidae. Acredita-se que existam apenas uma espécie de girafa e nove subespécies, e essas habitam as regiões de florestas e savanas africanas. A girafa é conhecida, principalmente, por seu longo pescoço, o que desperta a curiosidade e o fascínio por esse animal.

Leia também: Arara-azul: características, habitat, alimentação

Características gerais

A girafa é um vertebrado de grande estatura. O macho, geralmente maior que a fêmea, pode chegar a cerca de 5,3 m de altura e a pesar em torno de 1.200 kg; já a fêmea pode alcançar a estatura de cerca de 4,3 m e chegar a pesar 830 kg. A longevidade desse animal é de cerca de 25 anos.

Como mamífero, a girafa compartilha diversas características com os demais animais dessa classe, tais como:

  • a endotermia (temperatura do corpo não varia de acordo com o ambiente);

  • o corpo coberto por pelos. Além de proteção, os pelos podem ter a função de camuflagem. Nas girafas, o padrão da pelagem permite que elas se camuflem no ambiente das savanas;

  • a presença de glândulas na pele;

  • a presença de glândulas mamárias, responsáveis pela lactação.

No entanto, as girafas apresentam algumas características específicas e curiosas, diferentes das dos demais mamíferos, como veremos no tópico a seguir.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Características específicas e curiosidades

A girafa apresenta algumas características incomuns, diferentes das apresentadas pelos demais animais da classe à qual pertence. São elas:

  • Apresenta oito vértebras cervicais, diferentemente da maioria dos mamíferos, que apresentam sete vértebras cervicais;

  • Possui um corno incomum. Muitos mamíferos, como os bois, apresentam cornos, que são projeções ósseas cobertas por queratina. Já os cornos da girafa são formados por um osso separado, fundido ao osso frontal e recoberto por pele.

Em girafas, o corno é um osso separado, fundido ao frontal e recoberto por pele.
Em girafas, o corno é um osso separado, fundido ao frontal e recoberto por pele.

  • É um animal bastante citado, nos livros de Biologia, para exemplificar a diferença nas teorias evolutivas de Lamark e Darwin:

- Lamarck: de acordo com as suas leis do uso e desuso e dos caracteres adquiridos, se um animal usa em demasia um determinado órgão, este se desenvolve, do contrário, atrofia-se, e essas características adquiridas podem ser passadas aos seus descendentes. Dessa forma, as girafas adquiriram esse aspecto de longo pescoço devido ao fato de alimentarem-se das folhas das copas das árvores. Essas, consequentemente, tornaram-se escassas em uma determinada altura, fazendo com que as girafas esticassem cada vez mais seus pescoços para alcançarem as folhas mais altas. Assim, o pescoço das girafas alongou-se, e essa característica foi repassada aos descendentes, fazendo com que, hoje, todas as girafas apresentem longos pescoços;

- Darwin: de acordo com a teoria da seleção natural, uma população apresenta indivíduos com diversas características que podem ser transmitidas aos descendentes. Se essas características permitem que os indivíduos estejam mais adaptados ao ambiente em que vivem, esses têm maiores chances de sobrevivência e de deixarem descendentes. Assim, existiam girafas de pescoço longo e pescoço curto que competiam por alimento, as folhas das árvores. Com a escassez das folhas mais baixas, as girafas que apresentavam pescoço longo conseguiam alimentar-se. Assim, como o passar do tempo, essas últimas, mais adaptadas ao ambiente, apresentaram mais chances de sobrevivência e reproduziram-se mais que as de pescoço curto, que acabaram sendo extintas.

  • Não bebe água todos os dias;

  • Apresenta uma alta pressão sistólica, superior a 250 mmHg, para, assim, conseguir bombear sangue até a cabeça. Dessa forma, quando abaixa a cabeça para beber água, ocorrem alterações fisiológicas em seu organismo para evitar que a alta pressão cause danos em seu cérebro. Para se ter uma ideia de quão alto é esse valor, um homem jovem e saudável apresenta a pressão sistólica em torno de 120 mmHg.

Leia também: Jiboia: veja se ela é venenosa, habitat, tamanho e muito mais

Alimentação

As girafas são herbívoras, alimentando-se, assim, de folhas, caules, flores e frutos. Embora elas se alimentem de uma grande diversidade de plantas, estudos mostram que a preferência delas é pela Acacia. Elas capturam o alimento utilizando a língua, de cerca de 50 cm de comprimento, e o lábio superior.

As girafas vivem, geralmente, em grupos, e os filhotes permanecem junto às mães até cerca de dois anos de idade.
As girafas vivem, geralmente, em grupos, e os filhotes permanecem junto às mães até cerca de dois anos de idade.

Reprodução

As girafas são mamíferos placentários, ou seja, o desenvolvimento do embrião ocorre dentro do corpo da fêmea. O tempo de gestação é de cerca de 15 meses, nascendo um filhote ou (raramente) gêmeos, por gestação. As fêmeas atingem a maturidade sexual entre os três e quatro anos de idade. Já entre os machos, a reprodução está relacionada com a competição com os outros machos pela parceira.

Comportamento

As girafas vivem geralmente em grupos e são animais dóceis. Os filhotes permanecem junto às mães até quase dois anos de idade. Quando mais velhos, muitas vezes os indivíduos afastam-se do bando e passam a viver de forma solitária.

As girafas habitam as regiões de florestas e savanas africanas e são conhecidas, principalmente, por seu longo pescoço.
As girafas habitam as regiões de florestas e savanas africanas e são conhecidas, principalmente, por seu longo pescoço.
Por Helivania Sardinha dos Santos

Curtidas

0

Compartilhe:
Artigos Relacionados