Ariranha

Você está aqui:
A ariranha ou lontra-gigante é um mamífero carnívoro de corpo alongado, pelagem densa e com várias adaptações à natação.
A ariranha ou lontra-gigante é um mamífero carnívoro de corpo alongado, pelagem densa e com várias adaptações à natação.

Curtidas

0

Compartilhe:
Por Helivania Sardinha dos Santos

A ariranha (Pteronura brasiliensis), também conhecida como lontra-gigante, é um animal vertebrado, pertencente à classe Mammalia, família Mustelidae e subfamília Lutrinae, a família das lontras. A ariranha habita ambientes de água doce e sua distribuição ocorre pela América do Sul, em países como o Brasil, Peru, Colômbia, Paraguai, Suriname, Venezuela, entre outros.

Características gerais

A ariranha apresenta o corpo longo coberto por uma pelagem densa e de cor marrom com uma mancha branca no pescoço, uma cauda robusta e achatada, que a auxilia na natação, e tamanho que varia entre 1,5 e 1,8 metro. Assim como a cauda, a ariranha possui outras características que a ajudam na natação, como membranas interdigitais, localizadas entre os seus dedos.

As ariranhas habitam ambientes de água doce, como rios, lagos e suas margens. Geralmente elas buscam locais onde há águas mais calmas; menos ação antrópica; maior abundância de alimentos; margens com declives suaves; e vegetação mais densa.

A ariranha tem hábitos diurnos e alimenta-se preferencialmente de peixes, podendo estar incluídos também em sua alimentação crustáceos, moluscos e pequenos vertebrados, como alguns mamíferos, aves e répteis.

A ariranha habita ambientes de água doce e suas margens. Geralmente vive em grupos familiares com até 15 membros.
A ariranha habita ambientes de água doce e suas margens. Geralmente vive em grupos familiares com até 15 membros.

A ariranha geralmente vive em grupos familiares com até 15 membros. Esses grupos constroem tocas nas margens dos corpos d'água, onde criam seus filhotes. Além das tocas, elas constroem latrinas em que fazem as suas necessidades fisiológicas, isso serve também como uma forma de demarcar o território do grupo.

Como uma outra forma de demarcação territorial, as ariranhas constroem áreas em barrancos denominadas de campsides. Os campsides são construídos em locais sombreados e próximos a áreas de alimentação, também são utilizados como pontos de descanso. As ariranhas, ainda, utilizam-se de vocalização e marcações com odores para demarcarem seu território.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Reprodução

A ariranha atinge a maturidade sexual por volta de dois anos e meio de idade. Geralmente cada grupo produz uma ninhada anualmente. Cada gestação dá origem a até seis filhotes, embora, na natureza, sejam raros mais do que quatro filhotes por gravidez, ocorrendo uma média de dois filhotes.

A gestação da ariranha pode durar cerca de 70 dias, e seus filhotes nascem totalmente dependentes da mãe, ganhando mais autonomia por volta dos quatro meses de vida. Alguns estudos mostram que, entre dois e três anos de vida, o filhote pode dispersar-se de seu grupo para dar origem a um novo grupo.

Veja também: Reprodução sexuada e assexuada

Embora semelhantes, a ariranha e a lontra-neotropical apresentam diferenças, como o tamanho e o peso.
Embora semelhantes, a ariranha e a lontra-neotropical apresentam diferenças, como o tamanho e o peso.

Diferenças entre a ariranha e a lontra-neotropical

A ariranha e a lontra-neotropical (Lontra longicaudis) ou, simplesmente, lontra, embora possam ser confundidas por algumas pessoas, apresentam algumas diferenças.

A ariranha geralmente é maior que a lontra-neotropical, podendo chegar até 1,8 metro e pesar até 32 kg, enquanto a lontra-neotropical mede cerca de 1,5 metro e pesa até 15 kg. A ariranha vive em grupos maiores, com até 15 indivíduos, enquanto a lontra vive mais solitária, ou com seus filhotes e em casal, principalmente no período reprodutivo.

Em algumas regiões, as duas espécies podem ser encontradas no mesmo ambiente, vivendo em simpatria, ou seja, elas ocupam a mesma área, mas não há ocorrência de cruzamento entre os indivíduos das diferentes populações.

Elas conseguem esse convívio, diminuindo a competição entre elas, devido ao fato de haver diferenças na utilização de recursos pelas duas espécies, por exemplo: a diferença no tamanho dos peixes predados por cada uma; e o fato de a ariranha geralmente preferir rios maiores, enquanto a lontra prefere corpos d'água menores.

Leia também: Relações ecológicas interespecíficas

Em extinção

A ariranha encontra-se classificada, segundo a Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas, da União Internacional Para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), como em perigo.

As principais ameaças a essa espécie são: a caça; a captura para venda como animal de estimação; a degradação e fragmentação ambiental, geradas pela contaminação dos corpos d'água; e os impactos das construções de barragens, em especial, os empreendimentos hidroelétricos.

Tudo isso tem contribuído para a decréscimo das populações de ariranha, sendo que, em algumas regiões do Brasil, como na Mata Atlântica, ela já se encontra extinta.

Leia também: Animais ameaçados de extinção

Curiosidade

A ariranha apresenta uma marcação branca em seu pescoço, o que a diferencia de outros membros da família Mustelidae. Além disso, essa marcação é irregular e específica de cada indivíduo, o que permite que esses se diferenciem também dentro de seu próprio grupo.

Curtidas

0

Compartilhe: